28.06.2022

Deputados lamentam morte de indígena, cobram medidas e pedem paz no campo

/imagens/noticia/2022-06-28-11-09-10-dde9793c-c779-40b2-9b29-48faeb9cbb24280631.jpg
Tamanho da letra
A-
A+

A morte de um indígena em conflito rural na Fazenda Borda da Mata, em Amambai, gerou comoção na tribuna da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS), nesta terça-feira (28), pelos deputados estaduais.

O deputado Zé Teixeira (PSDB) iniciou o assunto. “Assisti com muita tristeza o noticiário sobre a perda da vida do indígena. Lamento profundamente. Me pareceu conflito sobre invasão de propriedade e não sabemos onde essas ações vão parar. Há mais de 20 anos sofro com isso, com propriedade invadida. Se é o contrário, a União homologa terra do índio e o branco invade, é preciso cumprir a lei da mesma forma. Estou aqui para falar que nossa polícia estadual [acionada na situação] agiu no cumprimento da lei, argumentando que os indígenas também estavam armados, mas precisamos de segurança jurídica ao campo, não podemos deixar a União assistindo pacificamente as invasões sem fazer nada a respeito, sem paz no campo”, indignou-se.

De acordo com o deputado, o Governo Federal, o qual tem responsabilidade constitucional sobre o assunto, precisa se posicionar. “Demoram anos para dizer qual é o direito do setor produtivo, que sustenta o PIB desse país. Sem segurança jurídica fica difícil de conviver no meio rural. Não queria tocar nesse assunto, que já fui até agredido, mas queria falar de indícios de ONGs, algumas até internacionais que, às vezes, interferem na soberania nacional, insuflando o conflito e o que eu peço é justamente o contrário: que tudo isso se pacifique”, ressaltou Zé Teixeira.

 

Por Gustavo Nunes

Relacionados

logo
© 2022 Zé Teixeira - Deputado Estadual

Desenvolvido por: